Conhecimento de mulheres sobre medidas de detecção precoce do câncer de mama

Lidia Santos Soares, Rayssa Goulart Valente, Ana Paula Barbosa Sobral, Maria da Anunciação Silva, Renilda Andrade de Oliveira, Karine Silva Nascimento

Resumo


As atuais políticas de saúde voltadas para o câncer de mama recomendam ações de promoção da saúde e enfatizam o diagnóstico precoce e o rastreamento da doença. O objetivo do estudo é analisar o conhecimento de mulheres usuárias de uma Unidade de Saúde acerca das medidas de detecção precoce do câncer de mama. Pesquisa descritiva que utilizou o Levantamento (Survey) A coleta de dados foi realizada no primeiro semestre de 2015 no Centro de Saúde Nova Cidade, em Rio das Ostras/RJ. Participaram do estudo 390 mulheres, usuárias do serviço. Utilizou-se um questionário com perguntas fechadas contendo variáveis socioeconômicas e de conhecimento das medidas de prevenção do câncer de mama. A partir das respostas obtidas, analises de estatística descritiva foram realizadas. Os resultados revelaram que a principal medida de detecção precoce utilizada pelas participantes foi o autoexame, mencionado por 67,4% das mulheres. Em seguida, pode-se citar o exame clínico das mamas relatado por 58,5% das mulheres e, por último, a mamografia, apontado por 47,2% delas. Neste sentido, faz-se necessário que os profissionais de saúde se sensibilizem para a detecção precoce do câncer de mama e ofereçam meios e informações às mulheres para a realização dos exames necessários. Ademais, torna-se premente que também incluam em suas agendas atividades de promoção da saúde voltadas para o câncer de mama, incentivando a adoção de hábitos alimentares saudáveis, práticas de atividade física, orientando as mulheres sobre os fatores protetores e fatores de risco da doença. 

 


Palavras-chave


Câncer de mama; Diagnóstico precoce; Prevenção secundária.

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Controle do Câncer de Mama – documento de consenso. Rio de Janeiro: INCA. Abril de 2004. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/Consensointegra.pdf. Acesso em 15 jul. 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Ações de enfermagem para o controle do câncer: uma proposta de integração ensino-serviço. 3. ed. Rio de Janeiro: INCA, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer. ABC do câncer: abordagens básicas para o controle do câncer. 2. ed. Rio de Janeiro: INCA, 2012b.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Controle dos cânceres do colo do útero e da mama. 2. ed. Brasília, 2013.

BRASIL. Ministério da Saúde. Instituto Nacional de Câncer. Câncer de mama: é preciso falar disso. Rio de Janeiro: Inca, 2014.

BRASIL. Ministério da Saúde. Outubro Rosa alerta para o diagnóstico precoce do câncer de mama, 2016c. Disponível em: http://www.brasil.gov.br/saude/2016/09/outubro-rosa-alerta-para-o-diagnostico-precoce-do-cancer-de-mama. Acesso em 10 fev 2017.

BRASIL. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466. 2012a. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf. Acesso em 20 fev. 2017.

BRASIL. Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (BRASIL). Diretrizes para a detecção precoce do câncer de mama no Brasil. Rio de Janeiro: INCA, 2015.

BAUER, M. W.; GASKELL, G. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som: um manual prático. 6 ed. Petrópolis: Vozes, 2007.

GLOBO.COM. Bom dia Brasil. Maior parte dos mamógrafos de Brasília está quebrada. Disponível em: http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2016/10/maior-parte-dos-mamografos-de-brasilia-esta-quebrada.html. Acesso em 13 fev. 2017.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. O que é? Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/cancer/site/oquee. Acesso em 22 jul. 2016.

INSTITUTO NACIONAL DO CÂNCER. Estimativas 2016/2017. Disponível em: http://www.inca.gov.br/wcm/dncc/2015/estimativa-2016.asp. Acesso em 22 jul. 2016a.

INSTITUTO NACIONAL DE CÂNCER DE AMA JOSÉ ALENCAR, INCA. Tipos de Câncer. Disponível em: http://www2.inca.gov.br/wps/wcm/connect/tiposdecancer/site/home/mama/cancer_mama. Acesso em 30 nov. 2016.

GIL, A.C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

HU Rev., Juiz de Fora, MG, Brasil. e-ISSN: 1982-8047 / p-ISSN: 0103-3123 

 

INDEXADORES:

      

 

   

 

  

 

 

 

 

 

 

Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia