Controle glicêmico e aspectos nutricionais de adultos e idosos diabéticos em um centro de atenção a doenças crônicas de Juiz de Fora (MG)

Iris Teixeira Soares, Lívia Botelho da Silva, Marcus Gomes Bastos, Ana Paula Boroni Moreira

Resumo


O objetivo desse estudo foi avaliar o perfil socioeconômico, dados antropométricos, controle glicêmico e o consumo alimentar de diabéticos atendidos em um centro de atenção secundária à saúde. Trata-se de um estudo observacional, do tipo transversal, retrospectivo, realizado por meio da análise de prontuários eletrônicos de usuários portadores de Diabetes Mellitus. Foram incluídos usuários diabéticos, com idade acima de 18 anos, atendidos de julho a dezembro de 2014, que apresentavam resultado de hemoglobina glicada nos prontuários. A avaliação do consumo de alimentos foi realizada pelo recordatório alimentar de 24 horas. Foram avaliados 266 prontuários, que demonstraram maior frequência de idosos e indivíduos do sexo feminino. A única variável que apresentou associação negativa com controle glicêmico foi a idade, uma vez que os idosos apresentaram melhor controle (41,5%) do que os adultos (19,1%), o que pode ser justificado pelo maior tempo livre para frequentar os serviços de saúde. Foi avaliado qualitativamente o recordatório alimentar de 99 indivíduos, dos quais 68 usuários consumiam entre 20 a 50% de alimentos processados e ultra processados e 35 usuários consumiam doces e açúcares, o que pode prejudicar o controle glicêmico e o estado nutricional. Tal consumo de doces e açúcares levanta a necessidade de verificar a não aderência desses pacientes. Um estudo longitudinal, poderia elucidar mais informações sobre o acompanhamento dos diabéticos, bem como o desenvolvimento de intervenções nutricionais que melhorem a aderência e o tratamento desses usuários.

 


Palavras-chave


Diabetes Mellitus; Consumo de Alimentos; Estado Nutricional.

Texto completo:

PDF

Referências


ADA, AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. Diagnosis and classification of diabetes mellitus. Diabetes Care, v. 33 (Suppl 1), p. S62-S69, jan. 2010.

ADA, AMERICAN DIABETES ASSOCIATION. Economic costs of diabetes in the US in 2012. Diabetes care, v. 36, n. 4, p. 1033-1046, jun. 2013.

ASSUNÇÃO, M. C. F.; SANTOS, I. S.; VALLE, N. C. Blood glucose control in diabetes patients seen in primary health care centers. Revista de Saúde Pública, v. 39, n. 2, p. 183-190, nov. 2005.

BATISTA, M. D. C. R.; et al. Avaliação dos resultados da atenção multiprofissional sobre o controle glicêmico, perfil lipídico e estado nutricional de diabéticos atendidos em nível primário. Revista de Nutrição, v. 18, n. 2, p. 219-228, jan. 2005.

BRASIL, MINISTÉRIO DA SAÚDE. CONSELHO NACIONAL DE SAÚDE. Resolução nº 466, de 12 de dezembro de 2012. Diário Oficial da União, 2013. Disponível em: http://conselho.saude.gov.br/resolucoes/2012/Reso466.pdf . Acesso em 3 jun. 2016.

BUZZARD, I. M. Rationale for an international conference series on dietary assessment methods. American Journal Clinical Nutrition , v. 59 (Suppl 1), p. 143S-145S, jan. 1994.

CASTRO, L. C. V. et al. Nutrição e doenças cardiovasculares: os marcadores de risco em adultos. Revista de Nutrição, v. 17, n. 3, p. 369-377, jan. 2004.

COSTA LOUZADA, M. L.; et al. Ultra-processed foods and the nutritional dietary profile in Brazil. Revista de Saúde Pública, v. 49, n. 10, p. 38, jul. 2015.

FERREIRA, C. L. R. A.; FERREIRA, M. G. Características epidemiológicas de pacientes diabéticos da rede. Arquivos Brasileiros de Endocrinologia e Metabologia, v. 53, n. 1, p. 1-80, nov. 2009.

FERREIRA, M. G. et al. Acurácia da circunferência da cintura e da relação cintura/quadril como preditores de dislipidemias em estudo transversal de doadores de sangue de Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Cadernos de Saúde Pública, v. 22, n. 2, p. 307-314, mai. 2006.

GAEDE, P. et al. Multifactorial intervention and cardiovascular disease in patients with type 2 diabetes. New England of Medicine, v. 348, n. 5, p. 383-393, jan. 2003.

GOMES, R. et al. Os homens não vêm! Ausência e/ou invisibilidade masculina na atenção primária. Ciência & saúde coletiva, v. 16, n. 1, p. 983-992, fev. 2011.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Censo Demográfico. IBGE, v. 20, p. Rio de Janeiro, 2000. Disponível em: https://ww2.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2000/populacao/censo2000_populacao.pdf. Acesso em 3 de jun. 2016.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Síntese de Indicadores Sociais-Uma Análise das Condições de Vida da População Brasileira. IBGE, v. 317, p. Rio de Janeiro, 2010. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv66777.pdf. Acesso em 3 jun. 2016.

IBGE, INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Pesquisa Nacional de Saúde 2013: percepção do estado de saúde, estilos de vida e doenças crônicas. IBGE, p. Rio de Janeiro, 2014. Disponível em: http://ftp.ibge.gov.br/PNS/2013/pns2013.pdf. Acesso em 3 de jun. 2016.

LINS, T. R. B. et al. Consumo adequado de feijão entre usuários da estratégia saúde da família de itaqui/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 7, n. 2, nov. 2016.

LIPSCHITZ, D. A. Screening for nutritional status in the elderly. Primary Care, v. 21, n. 1, p. 55-67, mar. 1994.

MODENEZE, Dênis Marcelo. Qualidade de vida e Diabetes: Limitações físicas e culturais de um grupo específico. 2004. 118 f. Dissertação (Mestrado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2004.

MONTEIRO, C.A. et al. Da desnutrição para a obesidade: a transição nutricional no Brasil. In: Monteiro CA. Velhos e novos males da saúde no Brasil A evolução do país e de suas doenças. São Paulo: Editora Hucitec, 1995, p. 247-255.

MONTEIRO, C. A. et al. Ultra-processed products are becoming dominant in the global food system. Obesidade reviews, v. 14, n. Suppl 2, p. 21-28, nov. 2013.

MS, MINISTÉRIO DA SAÚDE. Guia alimentar para a população brasileira. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica, 2 ed., 2008.

MUNIZ, V. M.; CARVALHO, A. T. D. O Programa Nacional de Alimentação Escolar em município do estado da Paraíba: um estudo sob o olhar dos beneficiários do Programa. Revista de Nutrição, v. 20, n. 3, p. 285-296, jun. 2007.

SARTORELLI, D. S.; FRANCO, L. J. Trends in diabetes mellitus in Brazil: the role of the nutritional transition. Caderno Saude Publica, v. 19, Suppl 1, p. S29-S36, jan. 2003.

SBD, SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2015-2016. São Paulo: AC Farmacêutica, 2015.

SCHAAN, B. D. A.; HARZHEIM, E.; GUS, I. Perfil de risco cardíaco no diabetes mellitus e na glicemia de jejum alterada. Revista de Saúde Pública, v. 38, n. 4, p. 529-536, mar. 2004.

SCHOR, N.; SROUGI, M. Nefrologia urologia clínica. São Paulo: Sarvier, 6 ed., 1998, p. 29-33.

SEGALLA, R.; SPINELLI, R. B. Avaliação nutricional de idosos institucionalizados na sociedade beneficente Jacinto Godoy. Erechim, RS. Perspectiva, Erechim, v. 35, n. 129, p. 189-201, mar. 2011.

SOUSA, Gisele de. Uso de adoçantes e alimentos dietéticos por pessoas diabéticas. 2006. 74 f. Disssertação (Mestrado) - Curso de Enfermagem, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto, 2006.




Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

HU Rev., Juiz de Fora, MG, Brasil. e-ISSN: 1982-8047 / p-ISSN: 0103-3123 

 

INDEXADORES:

      

 

   

 

  

 

 

 

 

 

 

Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - NãoComercial 4.0 Internacional.

 

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia